terça-feira, 13 de novembro de 2012

Vivam para agradar a Deus





Gálatas 1.6 a 12

6 Estou admirado de que estejais vos desviando tão depressa daquele que vos chamou pela graça de Cristo para outro evangelho, 7 que de fato não é outro evangelho, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.
8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregue um evangelho diferente do que já vos pregamos, seja maldito.
9 Conforme disse antes, digo outra vez agora: Se alguém vos pregar um evangelho diferente daquele que já recebestes, seja maldito.
10 Pois, será que eu procuro agora o favor dos homens ou o favor de Deus? Será que procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando a homens, eu não seria servo de Cristo.
11 Mas, irmãos, quero que saibais que o evangelho por mim anunciado não se baseia nos homens; 12 porque não o recebi de homem algum nem me foi ensinado, mas o recebi por uma revelação de Jesus Cristo.
 Antes de introduzir o assunto que o motivou a escrever esta epístola (carta), Paulo manifesta toda a sua perplexidade com o caminho que o evangelho estava traçando ainda no primeiro século. Aquela igreja estava caminhando a passos largos para longe dos propósitos de Deus        em busca de um novo evangelho, que por diferente do que Ele ensinava, deixava de ser evangelho.
Talvez esse seja um dos assuntos mais atuais na área eclesiológica. Como estamos vivendo o Evangelho de Cristo. Estamos caminhando nos seus propósitos ou temos dado margem para um desvio da função e da missão especifica que nos confiada como o chamado da graça de Cristo.
Paulo alerta para tomarmos cuidado com o pseudo evangelho, pois os seus ensinamentos tem a única direção: afastar os adoradores do trono de Cristo. E isto provoca perversão de propósito e perturbação entre a própria igreja.  Mas contundente ainda é afirmação paulina que todo aquele que ensinar este pseudoevangelho se torna maldito.
A pergunta que temos que sempre responder é a quem queremos agradar com o nosso jeito de ser cristão. Será que nos preocupamos mais em agradar os lideres da igreja, os formadores de opinião, os homens que nos rodeiam.
Paulo afirma categoricamente que a única motivação de sua vida era a de agradar a Deus, se tornando servo de Cristo, sabendo que não maior liberdade do que essa.
O seu modo de ser cristão agrada ao senhor?
Baseado na lição 4 da revista Palavra e Vida: Conselhos para a vida cristã

Nenhum comentário:

Postar um comentário